ANPM

AUTORIDADE NACIONAL DO PETRÓLEO E MINERAIS TIMOR-LESTE

Ser uma autoridade reguladora líder na região, nos setores do petróleo e dos minerais e um modelo para o desenvolvimento institucional em Timor-Leste.

ANPM

Relatório Anual de 2014

.
. Mensagem do Presidente
.

 anpm-president  

2014 é, de facto, um ano cheio de desafios para a ANPM. Aproximámo-nos da finalização de novos conjuntos de estruturas para operações de petróleo a montante e continuámos com uma participação ativa na regulação do setor.

O ano em análise
2014 é, de facto, um ano cheio de desafios para a ANPM. Aproximámo-nos da finalização de novos conjuntos de estruturas para operações de petróleo a montante e continuámos com uma participação ativa na regulação do setor. A nossa primeira auditoria de conteúdo local para operadores na ACDP oferece a oportunidade de entender maneiras melhores de trabalhar com os operadores contratados, para continuar a melhorar as participações de Timor-Leste em operações petrolíferas. Além disso, ao longo do ano, também trabalhámos em estreita colaboração com os operadores contratados, enfrentando alguns desafios operacionais importantes, o que trouxe soluções razoáveis para continuar trabalhando lado a lado. Além disso, as empresas a jusante em Timor-Leste avançaram positivamente com a emissão de uma série de licenças de atividade a jusante.

Globalmente, as oportunidades e os desafios em 2014 expuseram a nossa equipa jovem e dedicada a um novo nível de experiências, para trabalhar em conjunto e desenvolver a sua capacidade de servir o interesse dos proprietários de recursos.

Explorando os potenciais
O trabalho geológico e geofísico nas nossas áreas continua a ter lugar na preparação para a perfuração nos próximos anos. Apesar disso, concedemos permissão para adiar a entrega de alguns dos compromissos de exploração na ACDP, bem como na TLA, dando mais tempo aos operadores de contrato para planear e cumprir o seu compromisso.

Produção a partir de campos em declínio
O declínio na produção de petróleo do campo Bayu Undan e Kitan, combinado com a queda no preço do petróleo no final de 2014, teve impacto na nossa capacidade de gerar uma maior receita. No entanto, é frequentemente neste ambiente que os operadores contratuais são forçados a agir com mais prudência, para optimizar a recuperação do petróleo e reduzir o custo das operações.

Para manter e melhorar a produção de petróleo, cinco poços de desenvolvimento foram perfurados ao longo do ano. Enquanto alguns poços foram imediatamente colocados em serviço, outros infelizmente falharam e têm de ser suspensos, até que o ambiente económico se torne favorável.

Foco na saúde, segurança e meio ambiente
Este foi outro ano seguro para as operações de petróleo na ACDP e TLA em 2014. Não houve nenhum registo de fatalidades ou qualquer acidente / incidente grave nas nossas áreas de jurisdições. A auditoria e as inspeções regulares que visam âmbitos predefinidos continuam a ser realizadas por inspetores e auditores experientes, o que resultou em ações corretivas para uma melhoria contínua.

Licenciamento de atividades de downstream
Para além de trabalhar em regulamentos auxiliares a jusante, os nossos esforços, em coordenação com entidades empresariais downstream, foram pagos com a emissão, pela primeira vez, de uma série de licenças de atividade a jusante a prestadores de serviços descendentes qualificados para diferentes categorias de serviços. Este é um marco importante para a regulação do setor a jusante, de forma a atender aos requisitos a jusante, ao padrão da indústria e a fornecer garantias aos usuários finais dos produtos a jusante no país.

Revisitando regulamentos e modelos de contratos
Continuando o esforço do ano anterior, aproximámo-nos da finalização dos regulamentos e dos modelos de contratos para Timor-Leste e continuámos a trabalhar sobre uma regulação revista e um modelo PSC para a ACDP. O trabalho sobre os regulamentos de Timor-Leste e os modelos de contratos será concluído em 2015, para facilitar o plano de liberação de superfície.

Jornada em 2015
Estamos ansiosos para concluir o quadro regulamentar revisto para as operações de petróleo em 2015 e abrir uma nova rodada de exploração na nossa área de jurisdições. Temos um forte empenho em continuar o progresso que fizemos até agora, em estreita cooperação com os principais interessados relevantes. No entanto, como muitos estão envolvidos neste setor, as incertezas no preço do petróleo continuam a lembrar-nos da necessidade de pensar mais e ajustar a forma como fazemos negócios neste setor.

Gualdino da Silva
Presidente
Autoridade Nacional do Petróleo e Minerais de Timor-Leste

Relatório Anual da ANPM 2014. Para descarregar, clique aqui.